sagita03.jpg

Sagitário

o beberrão? o inconsequente?

Quantas vezes não escutamos alguém falar que "não tenho nada a ver com esse post aê de Sagitário"? Várias pessoas deixam de buscar a astrologia focando naquela tal frase que alguém comentou que era do seu signo, gerando discussões desnecessárias com base em conceitos que na maioria dos casos foram simplificados para provocar humor. É ótimo rir com uma postagem engraçada, e eu mesmo já fiz/faço brincadeiras com isso, contudo pensei em fazer aqui no site algo que divulgasse que a influência do signo solar ahm, bem... pode não ser tãoooo assim.

Um Mapa Natal é um sistema complexo que demonstra muitas potencialidades além do que se lê por aí sobre o signo solar. A ideia dessa nova sessão do site é mostrar como os conceitos dos 12 signos podem ser mais flexíveis do que muitos acreditam.

12 clientes foram convidados para desenvolver um trabalho criativo inspirado na sua identificação com o próprio signo. O convite incluí questionamentos e frases para eles se inspirarem e criarem algo que demonstre essa relação. A cada mês, sairá o trabalho relacionado ao signo (solar) vigente naquele período e poderemos ver o quão flexível pode ser esse simbolismo astral.

programadora visual e quadrinista. 37 anos. sagitariana

Cátia Ana B. da Silva

Lembro que quando conheci a Cátia na Universidade de Artes Visuais me surpreendi quando descobri que ela era Sagitariana. Meus outros amigos desse signo não eram introspectivos e misteriosos como ela. Aos poucos fui descobrindo em sua personalidade o outro viés de Sagitário: o que se aventura ao se aprofundar em um estudo. Na época eu não tinha o conhecimento astrológico que tenho hoje, e convido vocês aqui a pensarem em seus amigos sagitarianos . Como eles se dedicam a um assunto novo? Seus olhos brilham quando começam a falar de uma cultura diferente que descobriram? Viajando, vendo um documentário ou lendo um livro, o sagitariano tende a se entusiasmar com a descoberta de uma nova filosofia. Mais do que ir a uma festa? Sim, muitas vezes sim.

Esse signo de elemento fogo tem uma relação intrínseca com a busca por algo muito maior do que nós. É só pensar na flecha que simboliza o signo, ela aponta para o alto, mirando um grande ideal, para acertar nosso alvo é necessário muito mais do que precisão em linha reta. Precisa-se de uma grande vontade de expansão para que a fé te impulsione a soltar essa flecha sem pensar em todos os pormenores do caminho. E aí que pode vir o perigo do signo, o excesso de otimismo pode fazê-lo calcular mal os pormenores e ele pode desperdiçar muito tempo e energia antes de perceber o erro da sua estratégia. É daqui que vem a fama de exageradão.

A relação com o esteriótipo

Questionei a Cátia qual dos estereótipos do signo ela mais se identificava e ela escolheu falar justamente sobre essa fama do sagitariano querer explorar o mundo.

Gosto de viajar mas, ao contrário do "típico" sagitariano, planejo tudo com todos os detalhes possíveis: vôos, tempo das escalas, deslocamento, hotel, quanto vou gastar de comida, etc. Olho também o que há de legal para se fazer no lugar, adoro visitar museus e igrejas (mais pela arquitetura que pela religiosidade). Como fico muito ansiosa antes estes planejamentos me ajudam a não pirar. Ir para um lugar e não ter hotel reservado para mim é a maior de todas as loucuras. Mas, chegando no local, acabo deixando o planejamento de lado e vou me deixando levar pelo clima e por meu humor do momento. Mas mesmo sendo uma sagitariana medrosa quando é necessário acabo me virando. Numa viagem que fiz ao Piauí, por exemplo, me confundi com as datas e perdi o vôo. Acabei voltando de ônibus, depois de uma busca épica que atravessou Piauí e foi parar no Maranhão.

Por ser um signo relacionado ao fim de uma estação é comum ver um sagitariano se adaptar a surpresas como a Cátia relata acima. Todo elemento tem um signo com essa simbologia de ser adaptável, e muitas vezes eles podem até esperar os problemas acontecerem para saber qual rumo tomar em sua vida. No elemento Terra esse signo é Virgem, de Ar é Gêmeos, de Água é Peixes e de Fogo temos Sagitário. Assim, ao fim de novembro e nas primeiras semanas de dezembro, o Sol passa nessa área do céu no fim do Outono para o Hemisfério Norte e no fim da Primavera no Hemisfério Sul, podemos sentir a preparação do do clima que se iniciou em Libra, no equinócio de setembro, para o clima seguinte que virá com o Solstício de Capricórnio próximo ao fim do ano.

Sagitariana responsável

Por ter essa tendência a ser adaptável e sempre se inspirar com o novo, é comum vermos os Sagitarianos deixando uma meta muito burocrática de lado para explorar algo novo, um tema/pessoa/curso que faça mais sentido em sua vida atual. Isso dá uma fama de irresponsável ao signo que a Cátia quis comentar:

ODEIO o estereótipo de "irresponsável" atribuído aos sagitarianos porque é um defeito que não gosto em mim. Costumo mudar de ideia muito rápido ou aceitar as coisas sem pensar e, ás vezes, assumo compromissos que mais na frente não vou poder cumprir ou me trarão sofrimento. Me sinto uma tratante quando faço isso com alguém, pois acho que palavra dada é palavra cumprida e também porque não gosto quando fazem isso comigo.

Apesar da tendência a aceitar coisas demais e mudar o rumo de alguns planos, quando os sagitarianos aprendem a voltar seu entusiasmo para sua grande meta, a tendência é que consigam focar e finalizá-la. Não necessariamente com a disciplina capricorniana, mas sem dúvida é necessário ter um pouco mais de clareza em relação ao tempo que as coisas levam para a acontecer nesse mundo. Um pouco mais de humildade também para saber que nem sempre temos tanta energia para realizar todos os nossos sonhos de uma vez só.

O projeto

Sagitário por Cátia Ana Baldoíno da Silva

​​O período de desenvolvimento do meu mestrado foi muito importante para o meu crescimento pessoal. Academicamente aprendi muita coisa, claro, mas acho que aprendi mais sobre mim como mulher, quadrinista e pesquisadora e a ter mais aceitação por estes aspectos meus. Precisei em determinado momento enfrentar um orientador abusivo, além do desafio de estar dentro de uma área diferente da minha formação. Um ano depois da defesa do mestrado passei por um baita momento de crise, mas vejo hoje como parte desse aprendizado de me validar e cuidar melhor de mim mesma. Este trabalho me dá um baita orgulho e venho colhendo os frutos dele. Receber o Troféu HQMIX por ele acaba sendo simbólico, é o troféu depois de uma longa corrida.

Em 2019 defendeu sua dissertação no Mestrado da Faculdade de Letras da UFG, intitulada "O tempo multidimensional nos quadrinhos: um estudo das estratégias em Here, do Richard Mcguire".

 

Acho muito curioso esse estudo sobre o tempo ter sido o escolhido para representar Sagitário aqui no Não Sou Tão Assim. O excesso de perspectivas do Sagitário pode fazê-lo fugir de si mesmo, de fincar raízes e se estruturar em algo que exija uma dedicação que nem sempre vem com entusiasmo e prazer. Nessa narrativa gráfica explorada pela Cátia o tempo se passa sempre em um canto de uma sala, e várias historias ocorrem ali, sem respeitar alguma linearidade. Se quiser saber mais sobre a obra vocês podem ver o vídeo que a Cátia conta um pouco mais, só clicar aqui

 

 

Essas considerações finais do trabalho, desenvolvidas em forma de quadrinhos, participaram da exposição virtual do Itaú Cultural "Banca de Quadrinistas Olhares Femininos" em setembro e outubro de 2020. Neste mesmo ano foi vencedora do Troféu HQMIX na categoria dissertação, da área trabalhos acadêmicos.
 

Para acompanhar os trabalhos da Cátia ou entrar em contato:

https://quadrinhosinfinitos.com.br/

Instagram: @quadrinhosinfinitos

Leia tudo clicando na imagem ou nesse link http://www.quadrinhosinfinitos.com.br/?page_id=342

  • Twitter - Black Circle
  • Instagram - Black Circle
  • Facebook - Black Circle