sagita03.jpg

Áries

o beberrão? o inconsequente?

Quantas vezes não escutamos alguém falar que "não tenho nada a ver com esse post aê de Sagitário"? Várias pessoas deixam de buscar a astrologia focando naquela tal frase que alguém comentou que era do seu signo, gerando discussões desnecessárias com base em conceitos que na maioria dos casos foram simplificados para provocar humor. É ótimo rir com uma postagem engraçada, e eu mesmo já fiz/faço brincadeiras com isso, contudo pensei em fazer aqui no site algo que divulgasse que a influência do signo solar ahm, bem... pode não ser tãoooo assim.

Um Mapa Natal é um sistema complexo que demonstra muitas potencialidades além do que se lê por aí sobre o signo solar. Sabe esse signo do horóscopo do jornal? Que todo mundo sabe? Ele é uma parte do mapa relacionada a razão, a como buscamos muitas vezes a nossa individualidade. Entender o signo do nosso Sol e explorar suas potências pode nos ajudar a entender melhor outras partes do mapa, como podemos deixá-las fluir.  E isso vai além dos estereótipos... A ideia dessa sessão do site é mostrar como os conceitos dos 12 signos podem ser mais flexíveis do que muitos acreditam.

12 clientes foram convidados para desenvolver um trabalho criativo inspirado na sua identificação com o próprio signo. O convite incluí questionamentos e frases para eles se inspirarem e criarem algo que demonstre essa relação. E vamos agora para o primeiro signo da roda astrológica: Áries.

designer de joias e jornalista. 37 anos. ariana

Daiana Dalfito

14670761_10209092257556634_9077925734224

Esse signo de elemento fogo tem . Regência. Símbolo. Sobre não ser artista. Buscar causas justas.

A relação com o esteriótipo

Questionei a Daiana qual dos estereótipos do signo ela mais se identificava e ela escolheu comentar um pouco sobre a impaciência do signo.

“Talvez xs arianxs sejam um pouco impacientes sim, mas veja, não é exatamente uma relação com a falta de equilíbrio, calma ou tranquilidade para lidar com as situações. Gosto muito das coisas que são feitas com dedicação e cuidado e não concordo que o caminho é a resposta imediata pras coisas, como a gente vê todo dia. Aliás, há pouco tempo tive contato com alguns escritos do historiador e filósofo Roman Krznaric e acredito muito que o pensamento e planejamento de longo prazo é essencial.   Acho que talvez essa impaciência se manifeste quando existe um desejo de ter a resposta ou ver o resultado de algo que realmente importa para si ou o outro. E o desafio é compreender que essa ânsia pode ser trabalhada, que em uma imensa parte dos casos é melhor respirar e pensar um tiquim. Veja, eu sinto reações físicas quando tenho urgência de algo. É uma energia na base da espinha, que sobre pela coluna. Mas se eu estou praticando atividade física regular, trabalhando com algo que gosto, meditando (rs!) a duras penas, refletindo na terapia... essa energia não me toma e consigo aceitar a necessidade de respeitar o tempo das coisas (e das pessoas). O fazer da joalheria me atira essa perspectiva na cara todos os dias: apreciar o processo também pode ser muito bom”. 

Por ser um signo relacionado ao fim de uma estação é comum ver um sagitariano se adaptar a surpresas como a Cátia relata acima. Todo elemento tem um signo com essa simbologia de ser adaptável, e muitas vezes eles podem até esperar os problemas acontecerem para saber qual rumo tomar em sua vida. No elemento Terra esse signo é Virgem, de Ar é Gêmeos, de Água é Peixes e de Fogo temos Sagitário. Assim, ao fim de novembro e nas primeiras semanas de dezembro, o Sol passa nessa área do céu no fim do Outono para o Hemisfério Norte e no fim da Primavera no Hemisfério Sul, podemos sentir a preparação do do clima que se iniciou em Libra, no equinócio de setembro, para o clima seguinte que virá com o Solstício de Capricórnio próximo ao fim do ano.

Satanáries?

Por ter essa tendência a ser adaptável e sempre se inspirar com o novo, é comum vermos os Sagitarianos deixando uma meta muito burocrática de lado para explorar algo novo, um tema/pessoa/curso que faça mais sentido em sua vida atual. Isso dá uma fama de irresponsável ao signo que a Cátia quis comentar:

“Sobre os estereótipos, a tríade “briguento-ciumento-teimoso” pode ser um tanto injustificado, sabe? Teimosa talvez eu seja mesmo, mas geralmente é porque tenho razão, hahaha. BRINCADEIRA! Eu bato o pé por coisas que me são caras, na real, mas venho evoluindo no processo de reconhecer e aceitar quando estou errada. As outras duas eu tendo a achar injustas mesmo. A primeira, porque acaba reduzindo um posicionamento firme a agressividade, especialmente no caso das mulheres. Sou bem paz e amor, procuro ter empatia e respeitar o outro, mas tento me posicionar quando defendo um ponto de vista sobre algo. Sobre ciúmes... é muito vago considerar essa emoção uma característica, seja pra um arianx ou não. Ser ciumentx está ligado a uma relação de posse e controle e não de amor ou zelo. Ser definidx por ele não é sinal de que alguma coisa tá desequilibrada. Por exemplo, eu acredito que se uma relação é baseada em respeito, diálogo e partilha, esse sentimento não tem lugar”.

Apesar da tendência a aceitar coisas demais e mudar o rumo de alguns planos, quando os sagitarianos aprendem a voltar seu entusiasmo para sua grande meta, a tendência é que consigam focar e finalizá-la. Não necessariamente com a disciplina capricorniana, mas sem dúvida é necessário ter um pouco mais de clareza em relação ao tempo que as coisas levam para a acontecer nesse mundo. Um pouco mais de humildade também para saber que nem sempre temos tanta energia para realizar todos os nossos sonhos de uma vez só.

O projeto

Áries por Daiana Dalfito

catiana.jpeg

“Olhando pra FORÇA (2020), sinto que a joia sintetiza essa busca por uma modo de estar no mundo e, de alguma forma, contribuir para que as relações sejam um pouco menos não-ditas. O anel é uma ‘arte vestível’ foi sendo construído de uma maneira orgânica, um processo criativo que fugiu à sequência habitual: desenho – aquisição de materiais – execução. Também a forma de estruturá-lo foi sendo testada, na prática e com doses CAVALARES de paciência não-requisitados. A joia foi refeita por três vezes até chegar no resultado final.   Manifestar a jornada pelo resgate (?) ou construção da minha essência e propósito pessoais através da joalheria é uma maneira de expressão, de valorar os gestos de amor, a importância do cuidado e da dedicação a algo ou alguém. Que vale muito a criação de uma obra (seja ela qual for) através do tempo, pelo o quê a gente aprende no caminho, pelo desafio que isso gera e pela energia que é empregada e para que fim.”

Em 2019 defendeu sua dissertação no Mestrado da Faculdade de Letras da UFG, intitulada "O tempo multidimensional nos quadrinhos: um estudo das estratégias em Here, do Richard Mcguire".

 

Acho muito curioso esse estudo sobre o tempo ter sido o escolhido para representar Sagitário aqui no Não Sou Tão Assim. O excesso de perspectivas do Sagitário pode fazê-lo fugir de si mesmo, de fincar raízes e se estruturar em algo que exija uma dedicação que nem sempre vem com entusiasmo e prazer. Nessa narrativa gráfica explorada pela Cátia o tempo se passa sempre em um canto de uma sala, e várias historias ocorrem ali, sem respeitar alguma linearidade. Se quiser saber mais sobre a obra vocês podem ver o vídeo que a Cátia conta um pouco mais, só clicar aqui

 

 

sagita06.jpg

Essas considerações finais do trabalho, desenvolvidas em forma de quadrinhos, participaram da exposição virtual do Itaú Cultural "Banca de Quadrinistas Olhares Femininos" em setembro e outubro de 2020. Neste mesmo ano foi vencedora do Troféu HQMIX na categoria dissertação, da área trabalhos acadêmicos.
 

Créditos das fotos:  PB + timelapse:  Estúdio Éter/ Divulgação Coloridas – editorial// peça: Leopoldo Vasselo/ Santa Ideia Audiovisual

 

Para acompanhar os trabalhos da Daiana ou entrar em contato:

www.instagram.com/estudio_eter

Leia tudo clicando na imagem ou nesse link http://www.quadrinhosinfinitos.com.br/?page_id=342